quinta-feira, 7 de abril de 2011

SINTO-TE - poema de Adolfo Castelbranco Oliveira


SINTO-TE



Sinto beijos teus

Escorrerem entre dedos

Quando nos teus seios flutuo

Duas meninas

Gémeas, inseparáveis

Que me aliciam

E onde me perderei

Se um dia com elas viajar



E escuto segredos

Por entre os vendavais

Feitas ondas no teu cabelo

Acariciando-me

Quando me deito no teu colo

Respirando o calor

Exalado dum ventre

Que nunca mais será fértil



Mas dar-me-ás outro fruto

Lavado em águas

Escorridas no teu corpo

Ao mergulhares em mim

Quase virginal querer

Mostrarás que o celeste azul

À vista da tua beleza

É da cor da cinza negra



Cito,

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Seguidores

Os melhores amigos

Os melhores amigos
Companheira de vida

Número total de visualizações de página