domingo, 17 de abril de 2011

O que vale é que é Primavera !




O sol brilha, caminho pelos campos desgovernada, seguida ou ultrapassada pela minha cadela Nuska.
Subo ao monte, o calor aperta e revela-se nas minhas bochechas vermelhas, no suor que me escorre pelas costas. Arregaço as calças, desaperto o mais possível os botões da camisa. Não há ninguém. Ao longe avista-se gente minúscula, sons apagados chegam até nós. Olho na direcção do castelo de Sintra e sinto-me também imponente no alto da minha colina. Enfeito-me com flores amarelas do campo e buganvílias rubras criadas junto a um muro em ruínas. Ainda restam vestígios das belas quintas de outrora,( antes dos patos-bravos virem construir cidadezinhas de betão, dormitórios onde quase não há tempo de dormir... )
Fotografo prazeirosa os campos verdes enfeitados de mil cores e as árvores magníficas, em flor, em todo o seu esplendor. Fotografo -me a mim, para que, logo, na dura negra e longa noite, em que luto contra a loucura maldita do Alzheimer que destrói a minha mãe, eu possa recordar o passeio com a minha fiel amiga, a Nuska de todas as horas.
Esta noite, a cada intervalo de cuidados à minha pobre doente, voltarei a olhar para a alegria do sol reflectido no meu olhar, na minha pele ,nos meus cabelos... e a noite não será tão longa.

10 comentários:

Anónimo disse...

Gostei das fotos e da boa disposição. Bj

Anónimo disse...

Fui eu que fiz o coment - Adolfo

Anónimo disse...

...

Assaltou-mo tempo da traquinice
Loiadas, o Inácio da Kim
Chocolate da Gui, Maria no coração
A bela Samba saltos em guarda-chuva
Futeboladas no largo com lua
Fortalezas em ramos de árvores
Lutas, chuis, desfiles de fim de ano
Marcas, deixadas na juventude

O poema é teu
Beijo grande
Adolfo

Milucha2 disse...

Obrigada pelo comentário e sobretudo pelo poema lindíssimo, que eu já li na íntegra e é um grande poema. Beijinho

Anónimo disse...

Quando o chão afunda sob os pés,
quando a casa explode pelos ares e dos ares cai o fogo que incendeia a ceara do pão ainda por comer.
Quando a morte espreitar em cada bala e a vida perdeu o tempo de viver......eu posso ajudar.!!!!!!

Anónimo disse...

A minha inquietação não tem fronteiras.
É um desassossego global e fundo.
Em minhas mãos agito mil bandeiras e a minha dor é a dor do mundo....
Não sei como pensar, nem sei como fazer, viver só sei que pelo que passei na vida ,Angola,Moçambique,S.Tomé,Brasil.,Macau.
E aprendi tanto.!!!!
E não apendi nada.!!!!
É muito duro depois de tantas marés estar-mos em uma aula muito dura para uma professorinha lixada.

Professorinha não está só nunca na vida vai estar só.!!!!!!!!

Milucha2 disse...

Ao anónimo que fala do chão que afunda sob os pés... vai o meu grato abraço e digo : já está a ajudar!
Ao anónimo desassossegado, inquieto, que posso dizer senão um obrigado saído do fundo do coração, é bom saber que não estou só, que "tu" estás aí.

Anónimo disse...

MAR ANTIGO...MAR SALGADO...MAR NOVO...SEMPRE MAR...
MEU CAMINHO...MEU DESTINO DE NAVEGAR...

MARES QUE NAVEGUEI DE CAIS EM CAIS,
DE ADEUS EM ADEUS SEMPRE A PERDER E A RENUNCIAR...
Ó MAR, EM TI MUITO DE MIM FICOU E
NAUFRAGOU NA ÂNSIA DE ME ENCONTRAR.

ÁS TUAS ÁGUAS ACRESCENTEI AS MINHAS
LÁGRIMAS Á TUA IMENSIDÃO A DOR DA MINHA SOLIDÃO, Á TUA FÚRIA ENCAPELADA A MINHA REVOLTA RECALCADA, AOS TEUS FUNDOS SEGREDOS A VERTIGEM DOS MEUS MEDOS,
Á TUA TRANSPARÊNCIA CLARIDADE
ACRESCENTEI A SOMBRA DA SAUDADE...

Ó MAR QUE ME RECONHECESTE E ME
ACOLHESTE EM ÍNTIMA COMUNHÃO, NA
LIQUIDA CUMPLICIDADE DE SERMOS UNICAMENTE TU E EU ENTRE O ABISMO E
O CÉU....

Anónimo disse...

Nabibe deserto quente onde tudo morre .!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
POEMA PARA TI ROFESSORINHA.
Planta uma flor,
planta uma esperança
no imenso e milenário
deserto da tua dor !

Planta uma flor,
planta uma esperança
qual Welwitschia Mírabilis,
única e majestosa,
sequiosa e contorcida
que grite fome e sede
nas entranhas agrestes
da tua vida !

Planta uma flor
planta uma esperança
no sangue escravizado
dos longes da mamória
e no sangue fratricida
deste tempo novo
ainda sem glória
ainda sem mudança....

planta uma flor,
planta uma esperança !

A VIDA SOU EU E OS QUE ESTANDO VIVOS VIVERAM......

Milucha2 disse...

Anónimos... não... AMIGOS, como o meu coração está leve ao ler os vossos belos poemas!!! Não vou dizer que adivinho quais os vossos nomes, mas acreditem que os sei de cor aqui dentro da minha alma, que vos ama e agradece com um grande , imenso abraço do tamanho das terras do Namibe ou da linda baía de Luanda<3

Seguidores

Os melhores amigos

Os melhores amigos
Companheira de vida

Número total de visualizações de página